0

Carregar bebê no tecido africano

Porta-bebê na Africa é sinônimo de simplicidade e cores.

Carregar bebê à la africana não é para qualquer um, mas qualquer um pode tentar criar sua própria maneira de carregar bebê com tecido africano “à la você mesmo ;)”

As características do tecido africano é um retângulo colorido, tecido de maneira simples, firme e com estampas muito coloridas.

Um dos tipos de tecido africano que eu mais gosto para carregar bebê é também conhecido com pano wax (cera em inglês), muito usado na Africa do oeste, são mega coloridos e lindos de babar.

capulana102

A origem das estampas é do Batik indonésio introduzido na Africa há mais de 150 anos.  Para tingir as estampas é usado cera. Sua característica principal é não ter frente e verso, os …

Ler mais...

0

Ocitocina: hormônio do Amor, da Saúde e do Bem-Estar

O toque (contato) é o caminho royal para secretar a ocitocina.

pai&filho

A ocitocina nos acompanha todo o longo de nossa vida. No nascimento ela nos ajudou a sermos “expulsos” do ventre de nossa mãe. Tornando possível o aleitamento. Se confortar nos braços carinhosos de nossos entes queridos. Mais tarde nos saboreamos degustando um prato suculento. As relações sexuais. Criar amizades, se relaxar, receber uma massagem e muitas outras situações foram permitidas graças à liberação da ocitocina.

Alguns dos fatores observados em bebês e adultos melhorados pela ocitocina: contato.

1: Chora menos, mais sociavel, mais presente.

2: Memória social melhorada.

3: Calma e repouso.

4: O aprendizado é melhorado.

A lista beneficiada por este hormônio é incrivelmente maior. Aqui ela está …

Ler mais...

0

Semana Internacional do Babywearing

Senhoras e senhores carregadores, a campanha Internacional do Babywearing está chegando.

Carrego No Pano também estará participando desda semana, não percam! Teremos novidades todos os dias!

Durante esta semana acontecerão várias manisfestações  no Brasil.

Anotem em suas agendas:

10/10 ao 16/10 de 2011 Semana Internacional do Babywearing.

Aqui a lista das cidades já cadastradas com suas programações no site do  BWB .

Participe VOCÊ TAMBEM desta campanha de alguma maneira, ajude à dilvulgar na web e perto dos seus familiares e conhecidos. Ou quem sabe você  carregadora ou carregador confirmado  quer também fazer uma manifestação na sua cidade? Aproveite desta oportunidade para falar sobre dos carregadores de bebê como o sling por exemplo, falar do ato de carregar bebê, divulgar suas vantagens, contar como sua vida …

Ler mais...

0

Historia do Sling – Rayner Garner

A história do sling, invenção de Rayner Garner, começou no Havaí em 1981.

Rayner-Garner-212x300

Dr. Rayner Garner
designed The Baby Sling for his daughter Fonda in Kaneohe, Hawaii in
1981.

This photo is taken at Waikiki Beach in Honolulu,
Hawaii.

 

A historia do sling  é linda, pelo menos eu acho. Primeiro porque vem de um pai, segundo porque foi inspirado do livro de Jean Liedloff’s  “Concept of Continuun’ e terceiro porque ele como a maioria das pessoas não são satisfeitas com o porta-bebê dito clássico canguru, que todo mundo encontrava nas lojas de puericultura naquela época, e infelizmente encontramos até hoje.

Rayner testou o tal canguru e logo percebeu que não era confortável para o bebê e nem para ele. Me imagino …

Ler mais...

0

Carregar bebê no trabalho

05-1-121048_XL

carregar no trabalho

Carregar bebê no trabalhonem sempre é bem aceito pela sociedade ainda bastante conservadora, mas as coisas estão mudando aos poucos. Simbolicamente esta italiana expõe e prova que é possível ser mulher, profissional e mãe ao mesmo tempo. Hoje já existem empresas que propõem creche dentro do local de trabalho como no parlamento europeu, assim como existem lugares reservados para amamentação em espaços públicos ou privados, em vários lugares do mundo. Estamos no começo de uma mudança de valores! Pessoalmente acho que é urgente rever o meio e o modo de trabalho da mulher mãe. Ainda somos cercados de preconceitos, acredito que com muito diálogo e uma certa flexibilidade do empregador, …

Ler mais...